NASA publicou um vídeo incrível de uma estrela que explodiu com a energia de 100 milhões de sóis

No dia 24 de fevereiro de 1987, os astrônomos Oscar Dhalde e Ian Shelton presenciaram um fenômeno  inacreditável no topo de uma montanha chilena: o surgimento de uma nova estrela no céu noturno, evento que não acontece com frequência. Novo vídeo lançado pela NASA mostra um momento astronômico revolucionário em uma nova luz.

Grande parte dos astrônomos concordam que a explosão ocorreu porquê o núcleo da estrela ficou sem combustível de alta energia, enquanto alguns acreditam que outra estrela se fundiu com o super gigante azul para gerar a explosão.

Nesse momento, o núcleo de fusão da estrela começou a dissipar-se. A causa poderia ser qualquer um e outro, pois a estrela entrou em colapso sob sua própria gravidade, explodiu, criou o poder de 100 milhões de sóis no processo. Agora chamamos o objeto Supernova 1987A ou SN 1987A.

É a primeira vez que os cientistas estão conseguindo gravar a supernova, e também é a mais brilhante, vista nos últimos cem anos.

A equipe do Observatório Chandra de Raios-X da Nasa disse: “A Supernova 1987A se tornou uma das melhores oportunidades para os astrônomos estudarem as fases antes, durante e depois da morte de uma estrela”.

Esses dados que foram registrados dão aos astrônomos uma vantagem extra para estudar como as estrelas se formam e morrem. A NASA recentemente homenageou o aniversário da supernova com um monte de novos recursos multimídia, e algumas das imagens e uma animação chamaram nossa atenção.

Esta animação é uma sugestão sobre onde está localizado o céu noturno SN 1987A.

Os restos se escondem dentro da Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia anã que segue a Via Láctea, a cerca de 168.000 anos-luz da Terra.

Demorou muito tempo para a luz chegar até nós, pois este evento ocorreu tecnicamente 168.000 anos no passado.

Uma vez por mês ao longo dos últimos anos, o telescópio espacial Hubble fotografou o SN 1987A e sua onda de choque ambulante.

Começando por volta do ano 2000, eles viram a onda de choque começar a bater em um anel de gás e poeira de um ano de luz que a estrela lançou antes de sua morte, criando um brilho brilhante e borbulhante.

De acordo com um estudo pré-impresso postado em arXiv.org, os pesquisadores agora acreditam que a onda de alta velocidade está deixando o campo de gás e poeira, marcando o início de uma “grande mudança” em sua evolução, esta nova animação é de um modelo de computador que mostra a explosão e toda a evolução da SN 1987A até 2017, e em três dimensões.

O estudo sobre este modelo foi conduzido pelo astrofísico Salvatore Orlando no INAF-Observatório Astronômico di Palermo na Itália.

 

Via: chaosmosnews

 

 

 

Deixe uma resposta