in

Amor canino: cachorro mora em cemitério após acompanhar o enterro da dona

Quando a sua dona morreu, há 10 anos, Bob – como era chamado o cachorro de estimação da mulher falecida – foi acompanhar o sepultamento. Após participar do enterro de sua dona, o cão nunca mais foi embora do cemitério, e depois disso ficou apelidado como “bob coveiro”. O amor canino que Bob sente pela sua dona fez com que o animal quisesse viver ao lado dela.

(Foto: Reprodução/ TV Globo)

Já que o animal optou por permanecer no cemitério, atualmente, Bob acompanha o enterro de diversas pessoas em Taboão da Serra e vai à frente do cortejo durante os funerais que ocorrem no local.

Assim, ele acompanha a família da pessoa falecida durante o sepultamento, o que chama a atenção de todos. Por isso, às vezes, Bob se torna um motivo para as pessoas sorrirem, mesmo em um momento tão triste.

Por que Bob continua no cemitério?

Várias vezes, a família da mulher falecida já tentou levar Bob para casa, mas o cachorro sempre dá um jeito de voltar para o cemitério e ficar próximo de sua dona que faleceu há 10 anos.

(Foto: Reprodução/ TV Globo)

Muitas pessoas acham que o Bob continua morando no cemitério por conta da sensação da falta de sua dona e também devido à saudade, já que morando nesse local ele consegue ficar sempre perto dela.

Mas, muitas pessoas também afirmam que o cachorro já conseguiu seguir em frente, e que ele fica cemitério porque consegue ter bastante alegria devido ao amplo espaço e a quantidade de amigos que o animalzinho fez, afinal todos os funcionários do cemitério possuem um carinho pelo cachorro.

O que podemos afirmar é que no início Bob decidiu ficar no cemitério por conta da saudade, e depois esse local se tornou o seu novo lar.

Assim, Bob consegue proporcionar um pouco de luz e até mesmo de alegria para um ambiente triste, como um cemitério. Afinal, o cachorro costuma acarinhar e procurar brincar com todas as pessoas que estão passando por um momento difícil. Incrível como os animais conseguem mudar o clima dos ambientes e torná-los mais felizes, não é mesmo? Não é à toa que a presença do animal ajuda pessoas doentes durante os processos de quimioterapia e de depressão.

Como o amor canino foi capaz de mudar a rotina no cemitério?

Bob permanece até os dias atuais no cemitério onde sua dona foi enterrada. Às vezes o animal fica perto dela, e em outros momentos o cachorro alegra os funcionários do local e fica perto das pessoas que acabaram de passar pela perda de um ente querido.

(Foto: Reprodução/ TV Globo)

Assim, há 10 anos Bob se encontra no Cemitério da Saudade, que fica localizado em Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

A partir dessa emocionante história podemos perceber como o amor canino é forte e capaz de transformar o clima dos ambientes. Um cachorro consegue passar um amor ingênuo e sincero e ser eternamente leal ao seu dono.

E aí, gostou do post de hoje? Para acompanhar mais informações sobre o mundo dos animais e o amor canino, continue acompanhando o blog!

Fonte: g1.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cão sorridente: Chupey nasceu com defeitos de nascença e faz sucesso na internet!

Cão-guia: cachorro leva o seu dono que tem Alzheimer todos os dias de volta para casa